Meditação para o Dia 26 de Janeiro

Nas horas de angústia, nos momentos tristes e amargos da vida, quando as tribulações e a adversidade nos visitam com todo o seu doloroso cortejo, ah!

Quanto nos custou a resignação e conformidade com a Santíssima Vontade de Deus!

Paciência! Paciência!

Trabalhar, sofrer, morrer, eis a lei de que ninguém se pode isentar, a condição de todos os mortais.

Paciência! Paciência!

Bem poucos compreendem a necessidade de nossa conformação com a Vontade de Deus, condição essa, entretanto, essencial para a salvação de nossas almas.

“Não são aqueles que dizem Senhor! Senhor! Os que entram no reino dos céus, mas sim os que fazem a vontade de meu Pai”, disse Nosso Senhor no Evangelho.

E no Pai-Nosso rezamos: “Seja feita a vossa vontade assim na terra como no céu”.

Rezam muitos devotos o “Pai-Nosso”, mas bem poucos o compreendem! Toda santidade consiste em fazer o que Deus quer de nós.

Nas alegrias, nas horas felizes, na saúde, na prosperidade – “Faça-se a Vossa vontade, ó Senhor!”

Nas tristezas e amarguras da vida, nos revezes da sorte, na doença, nas adversidades – “Faça-se a vossa vontade, Senhor”!

Trabalhar, sofrer, morrer… É o nosso destino aqui! Depois, se formos fiéis, virão o descanso e a vida eterna!

Voltar para o Índice do Breviário da Confiança

(Brandão, Ascânio. Breviário da Confiança: Pensamentos para cada dia do ano. Oficinas Gráficas “Ave-Maria”, 1936, p. 35)