Meditação para o Dia 30 de Janeiro

Esta resignação é tão agradável a Deus que, em pouco tempo de doença, enriquece a alma de mais tesouros de graças do que, em saúde, mil obras de zelo e caridade.

“O que glorifica a Deus, diz Santo Afonso, não são as nossas obras, mas a nossa resignação e conformidade da nossa vontade com a do Senhor!”

Sofrer como Jesus Cristo não é sofrer, dizia outro santo. A doença nos abate e leva ao desânimo. Almas piedosas se sentem como que abandonadas por Deus, acabrunhadas, tristes.

Tudo na vida lhes parece tão diferente, tão doloroso, tão cheio de tédio e amargura! Oh! A monotonia de um quarto de doente! Longas horas de silêncio, de abandono e sofrimento! Paciência, alma cristã! Procura um crucifixo, uma imagem de Nossa Senhora e reza ao menos uma breve jaculatória: “Faça-se a Vossa Vontade, meu Deus!”

“Não digamos a Deus senão esta jaculatória, dizia o citado Santo Afonso: Faça-se a Vossa Vontade! Repitamo-la, do fundo do coração, cem vezes, mil vezes, sempre. Daremos mais prazer a Deus só com esta palavra do que com todas as mortificações e devoções possíveis.”

A fé é um bálsamo consolador para nossas almas em todas as vicissitudes da vida. Se tivéssemos mais fé sofreríamos muito menos.

Voltar para o Índice do Breviário da Confiança

(Brandão, Ascânio. Breviário da Confiança: Pensamentos para cada dia do ano. Oficinas Gráficas “Ave-Maria”, 1936, p. 39)