Meditação para o Dia 27 de Fevereiro

Quereríamos a glória do martírio. Que inveja nos causam os heróis cristãos na arena do anfiteatro, nas prisões, nos cavaletes, na cruz! E podemos ter a glória do martírio e de um martírio não menos glorioso do que o daqueles que derramaram seu sangue pela causa de Cristo. Diz Santo Agostinho que o martírio não consiste na pena, mas na causa ou fim por que se morre. E o Angélico Doutor ensina que se pode ser verdadeiro mártir, morrendo no exercício de um ato de virtude. Aceitarmos o que o Céu nos envia de sofrimento e de cruzes, assim como, e principalmente, a morte, para agradar a Deus e nos conformar à Sua Santíssima Vontade, – é, pois, martírio, e tem o mérito do martírio. E quem faz esse ato, diz, com autoridade, Santo Afonso, ainda que não morra em mãos do carrasco, tem o mérito do martírio.

As vozes autorizadas de três Doutores da Igreja afirmam que podemos ter a glória do martírio sem derramar o nosso sangue, com a simples aceitação heroica da vontade de Deus.

Não temos, porventura, em nossa vida tantas ocasiões de exercer heroicamente a virtude da paciência? E o dever a cumprir cada dia, monótono, duro, quase insuportável!… E o que sofremos dos que nos molestam? E a doença cruciante, longa, talvez incurável? Não quereis, pois, a glória dos mártires? Por que não aproveitais o martírio que Nosso Senhor vos envia? Que bela coroa reserva o Rei dos Mártires aos heróis e mártires da Santíssima vontade de Deus.

Voltar para o Índice do Breviário da Confiança

(Brandão, Ascânio. Breviário da Confiança: Pensamentos para cada dia do ano. Oficinas Gráficas “Ave-Maria”, 1936, p. 68)