Meditação para o Dia 25 de Janeiro

São Paulo é o Apóstolo da Cruz. Só quis conhecer e pregar Jesus Cristo crucificado. Por isso foi o Vaso de eleição para levar o nome de Jesus aos gentios.

“E eu lhe farei ver, disse o Senhor a Ananias, como é preciso sofrer pelo meu nome” (1)

O grande Apóstolo se gloriava nas suas dores, nas suas fraquezas, para ter a força Divina. “Libenter gloriabor in infirmitatibus meis ut maneat in me virtus Christi”. E não temia nem os ultrajes, nem as injúrias, perseguições, desprezos, açoites, por amor de Jesus Cristo, com quem vivia tão estreitamente unido, até à identificação, essa sublime identificação de que ele se fez o arauto.

“Vivo, escreveu ele, mas já não sou eu que vivo, vive em mim Cristo”

Eis o segredo de todos os prodígios do seu apostolado, da conversão de tantos gentios e de sua pregação eficaz e maravilhosa. São Paulo foi saciado de amarguras desde que conheceu Jesus Cristo e resolveu pregar a loucura da cruz. Ele nos ensina a pagar o mal com o bem, a ser pequeno, humilde, a padecer afrontas e desprezaras frivolidades do século. Prega Jesus crucificado. Ó doce e preciosa doutrina! Que riqueza! As epístolas de São Paulo consolam o coração aflito! Quando Saulo caiu na estrada de Damasco, perguntou a Deus:

“Senhor, que quereis que eu faça?”

E foi fiel à graça, à vontade de Deus! Na estrada de nossa vida, quando nos fulminar algum desses raios de dor, voltemo-nos para o Céu e consultemos a vontade Divina:

“Meu Deus, que quereis que eu faça?”

E aceitemos o que vier do Céu!

Referências:
(1) At 9, 15-16

Voltar para o Índice do Breviário da Confiança

(Brandão, Ascânio. Breviário da Confiança: Pensamentos para cada dia do ano. Oficinas Gráficas “Ave-Maria”, 1936, p. 34)