Meditação para o Dia 10 de Janeiro

As contrariedades e pequenos aborrecimentos de cada dia constituem o que Santa Teresinha chamava martírio de alfinetadas. Custam mais, às vezes, do que os grandes golpes. Ah! Mas são tão preciosas essas pequeninas cruzes! Nem sempre teremos ocasião de sofrer grandes provações e o martírio, mas teremos, todos os dias, a cada momento, os pequenos sacrifícios. Constantemente renovados, estes nos fornecerão quotidianamente muitas ocasiões para a prática das mais raras e sólidas virtudes, tais como a caridade, a paciência, a doçura, a humildade de coração, a benignidade, a renúncia ao nosso humor, etc. E essas pequenas virtudes quotidianas praticadas fielmente nos farão uma rica messe de graças e de méritos para a eternidade.

“É por esse meio, diz Padre Caussade, que melhor do que por todas as práticas e todos os outros meios, podemos obter o grande dom da oração interior, a paz do coração, o recolhimento, a presença contínua de Deus e seu puro e perfeito amor” (1)

Só essa cruz carregada pacientemente nos dará uma infinidade de graças e nos servirá, mais eficazmente do que as provações mais dolorosas, para nos levar à união com Deus e nos desapegar de nós mesmos.Muitas e pequeninas cruzes e provações, suportadas pacientemente, a todo momento, constituem tão precioso tesouro para o Céu! Custa sofrê-las, é verdade, mas como são pequeninas, passam logo. Quanto mais ocultas, tanto mais preciosas. Terá a glória do martírio quem aproveitar esse martírio de alfinetadas!

Referências:
(1) Pe. Caussade – Abandon – 1-c. V.

Voltar para o Índice do Breviário da Confiança

(Brandão, Ascânio. Breviário da Confiança: Pensamentos para cada dia do ano. Oficinas Gráficas “Ave-Maria”, 1936, p. 19)