Meditação para o Dia 19 de Abril

Assim diz o povo, cheio de confiança na Divina Providência. De fato, experimentamos, a cada passo, os efeitos da Misericórdia Divina, sempre solícita em nos socorrer. Deus tem a sua hora e é mister esperá-la. Nossa oração deve ser perseverante e humilde. A impaciência e a revolta afastam-nos a graça.

“Não vos desespereis – diz o Pe. Luiz Dupont – quando Vosso Pai Celeste demora em vos atender”

Quando Deus tarda é porque nos prepara surpresas de Sua bondade e misericórdia. Ele não é só Pai, mas é o mais solícito e carinhoso dos pais. Esperemos. Tudo quanto Ele faz tenho-o repetido mil vezes – é para nosso bem; se nem sempre para o bem temporal, sempre, sempre, para o bem eterno. Porque nos desesperarmos? Seria loucura. Santa Mônica, cheia de dor, rezou durante quase vinte anos, pedindo uma graça exclusivamente de interesse da glória de Deus: a conversão de Agostinho, seu filho. E não desanimou. Que bela recompensa de tão longa espera! Teve o filho batizado, bom cristão, sacerdote, bispo, doutor da Igreja e santo. Deus tardou mas foi generoso. Tantos anos de lágrimas e orações foram generosamente, super abundantemente pagos!

Quando se trata com Deus, não se perde em esperar. Ao contrário, lucra-se tanto quanto mais se espera, porque – diz o povo, com sabedoria, “Deus tarda mas não falha”.

Voltar para o Índice do Breviário da Confiança

(Brandão, Ascânio. Breviário da Confiança: Pensamentos para cada dia do ano. Oficinas Gráficas “Ave-Maria”, 1936, p. 122)