Meditação para o Dia 05 de Março

Nosso Senhor quer salvar-nos pela cruz – já muitas vezes o tenho dito e repetido aqui. Ele parece dizer-nos quando se nos apresenta com a cruz:

“Alma querida, deixa-me plantar a minha cruz no teu coração”

Sejamos generosos, vamos! Plante-a Ele onde e como quiser, e deixe-a bem firme. Que a tempestade de minhas ingratidões e os ventos furiosos das tentações não a possam nunca arrancar! Só Nosso Senhor sabe onde vai plantar Sua cruz na terra árida de meu coração. É preciso cavar a terra, e as enxadas das provações, em mãos de bons operários – as criaturas que nos perseguem e humilham – preparam a cova. Depois a cruz é levantada. É mais um sofrimento. Quando a cruz não está nos ombros, mas penetra numa chaga aberta e a sangrar, custa suportá-la, meu Deus!… Quantas vezes, justamente quando a terra de nosso coração sofreu tantos golpes, foi cavada e batida pelos operários da dor, chega-nos a cruz pesada do Calvário! Deixemos que Nosso Senhor plante essa cruz bendita! Morremos de dor, numa agonia triste! Não importa! Ressuscitaremos no Amor! Feliz, mil vezes feliz a alma que compreendeu o mistério da cruz! No deserto desta vida, só há um abrigo seguro: é a sombra da árvore frondosa da cruz. Não tenhamos medo da cruz. Deixemos que Nosso Senhor venha, sim, deixemos que Ele venha quando e com a cruz que quiser. Ele nos dirá, cheio de amor:

“Deixa-me plantar a cruz!”

Plantai-a, sim, meu Jesus, neste deserto do meu coração ingrato, aqui bem no centro, ou melhor, onde quiserdes; mas plantai-a bem, porque a tempestade aqui é forte!

Voltar para o Índice do Breviário da Confiança

(Brandão, Ascânio. Breviário da Confiança: Pensamentos para cada dia do ano. Oficinas Gráficas “Ave-Maria”, 1936, p. 76)